Artigos

Aeróbico em Jejum

By 15 de setembro de 2016 março 14th, 2019 No Comments

O aeróbico em jejum é uma prática muito comum realizada por fisioculturistas profissionais e amadores com o objetivo de aumentar a lipólise (quebra de gordura corporal) e assim potencializar o processo de emagrecimento.

Como é Feito

Consiste em praticar o exercício logo que acordar, sem ingestão prévia de nenhum tipo de alimento ou suplemento.

Porque as pessoa fazem isto

Na teoria, pelo fato de você estar com os depósitos de glicogênio diminuídos após um período de jejum (durante o sono), você iria utilizar maiores quantidades de gordura como fonte de energia, e assim, iria potencializar a queima de gordura corporal.

O que os estudos mostram

Alguns estudos mostraram que a lipólise, quebra de gordura que ocorre no seu tecido adiposo, realmente aumenta quando praticamos exercícios aeróbicos em jejum. Mas precisamos entender que a lipólise aumenta as concentrações ácidos graxos e glicerol no sangue, mas não quer dizer que estes ácidos graxos vão ser utilizados para geração de energia. Primeiro ponto: 80% da gordura que vai ser utilizada para geração de energia já se encontra dentro da fibra muscular. Segundo ponto: já temos ácidos graxos em quantidade suficiente no sangue para ser utilizado como substrato para geração de energia. Sendo assim, após o término do exercício, aqueles ácidos graxos que estão na sua corrente sanguínea são reesterificados e voltam a ser armazenados na forma de gordura no seu tecido adiposo.

Pontos negativos do aeróbico em jejum

A falta de uma alimentação prévia ao exercício diminui a intensidade da atividade. Sabemos que a intensidade do exercício é um dos fatores mais importantes para otimizar a perda de gordura corporal, o que pode ser visualizado

pela prática do HIIT (exercício intervalado de alta intensidade), que é muito superior a outras formas de exercício para a diminuição do percentual de gordura.

O alimento exerce também um efeito termogênico, ou seja, após o termino de um exercício com uma alimentação prévia, ocorre um aumento do EPOC (consumo de oxigênio pós exercício), mostrando que o seu metabolismo fica mais acelerado, facilitando o emagrecimento.

No exercício em jejum ocorre um aumento da degradação de proteínas o que faz com que seja dobrado o catabolismo muscular, aumentando a perda de massa magra e dificultando o ganho de músculo.