FEIJÃO - NÃO COMA SEM FAZER ISSO ANTES - Dr. Gabriel Azzini
Alimentação

FEIJÃO – NÃO COMA SEM FAZER ISSO ANTES

By 9 de junho de 2020 junho 10th, 2020 No Comments

O feijão é um alimento unânime na vida do brasileiro, seja com um simples arroz ou em pratos mais elaborados como a feijoada. Mas, você sabia que ele pode fazer mal para a saúde, dependendo de como for consumido? Muita gente não sabe, e é sobre isso que vamos conversar.

O feijão e a lectina

O feijão, entre outros grãos e leguminosas, possui uma substância tóxica chamada lectina. Essa classe de proteínas se acumula principalmente na casca do grão e tem uma importante função evolutiva de proteção.

Um animal pode se locomover ou mesmo atacar com garras ou dentes quando é ameaçado por um predador. Mas, e um vegetal? Ele não possui essas habilidades, então precisa de estratégias para se proteger. Uma dessas estratégias é acumular substâncias tóxicas (uma delas é a lectina) para que o seu predador passe mal quando ingerir. Isso ensina aos seus inimigos que ela é tóxica e faz com que eles evitem atacar.

A primeira intoxicação registrada pela lectina do feijão foi em 1976, publicada por meio do British Medical Journal. Foram 9 pessoas com sintomas como diarreia, mal-estar e vômito por terem ingerido o alimento cru (cozidos eles perdem uma boa parte da toxina).

Efeitos da lectina

O feijão e os outros alimentos possuem a lectina ativa principalmente quando estão crus, outro nome dessa substância é Hemaglutinina, que explica bem o seu efeito: causa a aglutinação das células sanguíneas, assim as hemácias, que são responsáveis pelo transporte do oxigênio pelo corpo, sofrem prejuízo em suas funções por estarem aglutinadas e não conseguem liberar o oxigênio de maneira correta.

feijão, desconforto abdominal, tóxica, cozinhar

Para avaliar os efeitos dessa substância, foram feitos experimentos com ratos, quando em contato com a lectina, eles tiveram inflamações difusas, edemas, hemorragias, desconfortos abdominais, necrose do fígado e lesão da musculatura do miocárdio (prejudicando o funcionamento do coração), além de trombose em vasos sanguíneos.

 

Entre no meu grupo do telegram. Aqui

 

Como diminuir a lectina do feijão

As variedades dos feijões possuem quantidades diferentes de lectina, sendo o vermelho e o branco os que possuem maiores reservas. Em alguns testes científicos, 18 horas de molho na água foram suficientes para eliminar 100% da substância tóxica da maioria dos feijões, exceto dessas duas variedades.

Para preparar o feijão em nossas casas, o ideal é deixá-lo de molho de um dia para o outro na água, para depois cozinhar, Isso libera boa parte da lectina da casca.

É preciso aquecer os grãos em um local úmido. Isso torna o tradicional forno uma escolha ruim por ser extremamente seco, a panela de pressão é uma excelente opção, bastando deixar o feijão por 20 minutos, depois que ela começa a apitar (ou seja, depois que atingiu 100°C).

Por último, é preciso ficar atento que não é somente o feijão que acumula a lectina em suas cascas, outros alimentos bem tradicionais também o fazem, como a soja e outros cereais e grãos.

feijão, lectina, água, molho, cozinhar

Baixe meu e-book “Livre de dores” gratuitamente. Aqui

Tenha um guia prático que vai te ajudar a combater as dores articulares sem anti-inflamatórios ou cirurgias. A informação é a melhor aliada para cuidar da saúde e estou aqui para ajudar!