Testosterona e Câncer de Próstata

testosterona

Exite relação entre testosterona e câncer de próstata?

Por muito tempo a comunidade médica mundial acreditou que o hormônio testosterona era o grande culpado pelos elevados índices de câncer de próstata na população mundial. Homens com baixos níveis de testosterona deixaram de receber os benefícios comprovados de uma terapia de reposição hormonal (melhora da libido, melhora da função sexual, melhora do humor, da cognição, ganho de massa muscular e aumento da densidade óssea) por causa desta teoria.

O que os estudos recentes têm mostrado?

Felizmente, após diversos estudos científicos como os liderados pelo Dr. Abraham Morgentaler, médico professor da faculdade de Harvard, chegou-se a conclusão que não existem evidências científicas para confirmar a hipótese de que a testosterona ou a reposição de testosterona em pacientes com deficiência levaria a um aumento do risco para câncer de próstata. Pelo contrário, observou-se que homens com baixos níveis de testosterona possuem um risco bastante aumentado de apresentarem um câncer de próstata ainda não descoberto e, caso apresentem um câncer, este tem maior probabilidade de ser de um tipo mais agressivo.

Sendo assim, não existem evidências científicas que relacionem a terapia de reposição hormonal com testosterona a um aumento do risco de câncer de próstata. Isto traz muita segurança para os médicos que trabalham com modulação hormonal masculina e buscam uma melhora substancial na qualidade de vida de seus pacientes sem causar efeitos negativos. A terapia de modulação hormonal masculina é muito gratificante no cotidiano de um médico, pois na maioria das vezes, após algumas semanas de tratamento já se pode verificar uma melhoria na função sexual, no humor, na energia e na capacidade mental dos nossos pacientes.

REFERÊNCIAS:

  1. Morgentaler A, Bruning C, DeWolf WC. Occult prostate cancer in men with low serum testosterone levels. JAMA 2996;276:1904-1906.
  2. Rhoden E and Morgentaler A. Testosterone replacement therapy in hypogonadal men at high risk for prostate cancer: results of 1 year of treatment in men with prostatic intraepithelial neoplasia. J Urology 2003;170: 2348-2351.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *