Hormônios que interferem no emagrecimento

emagrecimento em florianópolis

Todos os dias mlhares de pessoas iniciam tratamentos ou dietas buscando um emagrecimento seguro e definitivo. Infelizmente muitos se frustam com os resultados iniciais e abandonam o tratamento, voltando a rotinas que levam a um aumento do peso e piora da saúde em geral.

É muito claro que diferentes indivíduos reagem de maneira distinta a dietas semelhantes. Isto pode ser explicado pelas diferenças genéticas e pela maneira como diferentes hormonios atuam no seu metabolismo.

Abaixo falaremos sobre alguns hormônios que atuam no nosso metabolismo.

Adiponectina

Adiponectina é um hormônio que aumenta a utilização de gordura como fonte de energia e consequentemente favorece o emagrecimento. Infelizmente, quanto mais gordura você tem, menos Adiponectina você produz, por isto é tão difícil iniciar o processo de emagrecimento.

Agora as boas notícias: Existem algumas formas de você aumentar a sua produção de adiponectina e estimular a sua “queima” de gordura corporal.

A primeira é aumentando seu consumo de Magnésio, seja através da suplementação ou do consumo de alimentos ricos em Magnésio como: semente de abóbora, amêndoas, castanhas do Pará, amendoim, semente de girassol e espinafre.

Outra forma de aumentar a sua Adiponectina é realizando o jejum intermitente, AQUI você pode encontrar um vídeo onde eu explico o que é e como fazer.

Grelina

Grelina é conhecida como o “hormônio da fome”. Se você sente muito desejo de comer e não consegue ficar longe da geladeira mesmo após o jantar, provavelmente você está produzindo níveis altos de Grelina. Esse hormônio atua diretamente no centro da fome em nosso cérebro e ativa um sistema de recompensa que aumenta nossa vontade de comer doces ou alimentos ricos em gordura.

 Uma boa maneira de diminuir os níveis de Grelina no arganismo é melhorando a qualidade do seu sono. AQUI você pode encontrar um vídeo com dicas para dormir melhor.

Insulina

Se você está acima do peso, existem grandes chances de você estar com algum desequilíbrio noemagrecimento metabolismo da Insulina, o que faz com que maiores quantidades de açúcar circulem no seu sangue. Eu não estou dizendo que você está diabético mas, provavelmente, as células do seu corpo já apresentam algum nível de resistência a Insulina.

Insulina é um hormônio diretamente relacionado com o acumulo de gordura corporal. Quanto mais Insulina circulante no seu corpo maiores são as chances de você engordar.

O resultado disto é que ao invés de você utilizar o açúcar para gerar energia ou repor os estoques de glicogênio nos seus músculos, grande parte desse açúcar vai ser armazenada no seu corpo na forma de gordura. Existem diversos hábitos que podem ser incorporados na sua rotina para manter os níveis deste hormônio sobre controle como: a prática de atividades físicas e a diminuição da ingestão de carboidratos, principalmente os refinados. Então, pense duas vezes antes de comer o seu pãozinho, mesmo os integrais e mesmo os sem glúten.

Cortisol

Cortisol é um hormônio liberado em situações de estresse. Ele coloca o nosso corpo em um estado de alerta que nos prepara para lutar ou correr, e isso é muito importante se você está fugindo de uma ameaça. Acontece que níveis permanentemente altos devido as situações estressantes do nosso dia a dia traz o nosso corpo para um estado metabólico muito prejudicial. Nossa fissura por doces e carboidratos aumenta consideravelmente e além disto, ele estimula a destruição de tecido muscular para gerar energia, o que não é nada bom para quem deseja emagrecer, pois o músculo é o maior “queimador de calorias” do nosso corpo.

Altos níveis de cortisol estimulam um aumento da gordura abdominal e, quanto maior a sua gordura abdominal maios será a sua liberação de Cortisol em resposta ao estresse.

Vários estudos relacionam excesso de estresse com  ansiedade e depressão e essas alterações geralmente fazem você comer mais.

Existem várias formas de combater o estresse e reduzir os níveis de colesterol. Uma boa alimentação, a prática de atividades físicas e técnicas de relaxamento são algumas medidas efetivas.

Por onde começar?

Todo o paciente com dificuldade para emagrecer deve ter seu perfil hormonal avaliado para definir se há algum desequilíbrio hormonal dificultando a perda de gordura corporal. A maioria dos desequilíbrios são “tratáveis” fazendo com que o processo de emagrecimento ocorra de forma natural e continuada.

 

acesse o nosso Site  

acesse nosso canal no YouTube  

Até mais,

Dr. Gabriel Azzini

Referências:

1. Lim S, Quon MJ, and Koh KK, “Modulation of Adiponectin as a Potential Therapeutic Strategy,” Atherosclerosis (2014 Apr): 233(2):721-8, doi: 10.1016/j.atherosclerosis.2014.01.051.

2. Murray S, Tulloch A, Gold MS, and Avena NM, “Hormonal and Neural Mechanisms of Food Reward, Eating Behaviour and Obesity,” Nat Rev Endocrinol (2014 Sep), 10(9):540-52, doi: 10.1038/nrendo.2014.91.

3. Folgueira C, Seoane LM, and Casanueva FF, “The Brain-Stomach Connection,” Front Horm Res., (2014): 42:83-92. doi: 10.1159/000358316.

4. Copinschi G, Leproult R, Spiegel K, “The Important Role of Sleep in Metabolism,” Front Horm Res., (2014): 42:59- 72. doi: 10.1159/000358858.

5. Johnston C, Kim C, Buller A, “Vinegar Improves Insulin Sensitivity to a High-Carbohydrate Meal in Subjects With Insulin Resistance or Type 2 Diabetes”Diabetes Care (2004 Jan): vol. 27 no. 1 281-282.

6. Hewagalamulage SD, Clarke IJ, Young IR, Rao A, Henry BA, “High Cortisol Response to Adrenocorticotrophic Hormone Identifies Ewes with Reduced Melanocortin Signalling and Increased Propensity to Obesity,” J Neuroendocrinol, (2015 Jan): 27(1):44-56. doi: 10.1111/jne.12233. emagrecimento em Florianópolis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *